segunda-feira, 28 de junho de 2010

New Alice in Wonderland

Muito tempo depois do lançamento, finalmente consegui ver o filme mais esperado do ano, não por mim, pois pra mim, o mais esperado é Eclipse. Adorei o filme, apesar de achar que faltaram algumas informações bem importantes. Mas não vem ao caso agora. Há um tempo atrás, criei uns looks bem legais inspirada no filme da Disney. Espero que curtam!










Raul Seixas


Hoje, se estivesse vivo, Raul completaria 65 anos de muita sabedoria e inteligencia. Amo Raul Seixas desde sempre, sigo a risca seus ensinamentos, adoro suas músicas, conheço todas. Acho que quem conhece um pouco que seja de Raul sabe o grande homem que ele foi, e ainda hoje é, para nossa geração e para as gerações futuras.

Infelizmente não poderei fazer um post digno do ser humano q ele foi, pois estou sem internet novamente, mas assim que puder ele sera honrado como merece.




terça-feira, 22 de junho de 2010

Overdose de Bolinhas

Não tem nenhuma estampa que eu amo mais que a de bolinhas. De cores variadas, ou no tradicional preto e branco. É simplesmente perfeito!


































domingo, 20 de junho de 2010

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Sem internet.. =(

Estou passando pra informar q tou sem internet, pois meu moden (da claro q é uma porcaria) pifou e não tenho previsão pra voltar por enquanto.. Rezem pra ele voltar a funcionar logo, para q eu possa postar mto mais coisas super interessantes..

Bjuxx


sexta-feira, 4 de junho de 2010

Tattoo de Sexta



Rosie, the Riveter


"Rosie, the Riveter" foi um personagem criado para que as mulheres da década de 40 pudessem dar sua contribuição para a II Guerra Mundial, ela foi criada a partir de uma canção patriótica de Redd Evans e John Jacob Loeb que foi associada ao poster "We can do it" de autoria de J. Howard Miller, apesar da mulher desse poster não se chamar Rosie, e sim, Geraldine Doyle que foi fotografada trabalhando numa fábrica quando tinha 19 anos.

Em 1940, apenas 10%, das mulheres que trabalhavam, estavam em fábricas. Em 1944, esse tipo de emprego já representava 30%. Apesar do salário ser desigual (a média de salário de um homem trabalhando numa fábrica, na guerra, era de U$54.65 por semana, enquanto que as mulheres recebiam apenas U$31.21, pelo mesmo trabalho) e com péssimas condições de trabalho, muitas mulheres cederam ao apelo de "Rosie", que as convenceu que entrar no mercado de trabalho seria um "dever patriótico".

Em 1942, somente entre os meses de janeiro e julho, estima-se que a proporção de empregos "aceitáveis para as mulheres" nos EUA aumentou de 29 para 55%. Em 1945, uma em cada três trabalhadores era uma mulher.

No final da guerra, muitas das mulheres deixaram de trabalhar, mas já tinha sido dado um dos passos mais importantes na história do feminismo, ao provar que as mulheres podiam substituir os homens enquanto trabalhadoras.

Rosie era tida como o ideal de mulher trabalhadora, leal, eficiente, patriótica e bonita e rápidamente os media começaram a descobrir várias personificações de Rosies na vida real. Um desses casos foi Rose Monroe, descoberta pelo ator Walter Pidgeon que procurava uma mulher para participar num pequeno filme e a encontrou na Willow Run Aircraft Factory no Michigan. Rose Monroe, era viúva e como tinha dois filhos pequenos, trabalhava como rebitadeira para poder sustentá-los.

Geraldine Doyle, a inspiradora do poster só veio saber que era ela quem figurava no poster em 1984, ao descobrir a sua fotografia numa revista de 1942, a "Modern Maturity Magazine".